DestaqueTribuna Livre

Um breve adeus ao dileto filho Castro Alves

O infortúnio pode exterminar o corpo, mas a alma é eterna. Vítima da covardia, o nosso Jairo de Castro Alves já não está mais fisicamente no convívio da família, a quem tanto amava. Era também muito amado pela família e tinha incontáveis amigos. A generosidade de seu coração era muito grande e a alegria e o bem estar estavam muito presentes em sua vida diária. Deixa uma lacuna que não será preenchida com muita facilidade. Possuía projetos e planos para o futuro, sem imaginar que as balas traiçoeiras dariam um fim à sua existência terrena ao meio-dia de 28 de setembro, em terra estranha. As lamentações não valem a pena, mas a dor da separação é uma coisa insuportável que fere a alma de todas as pessoas que tiveram a oportunidade de conviver com essa criatura divina que só sabia fazer o bem.

Jairo de Castro Alves era um mundonovense fervoroso, muito temente a Deus e com apenas 44 anos de idade deixou este sistema de coisas para entrar na Eternidade. Viveu bem consigo mesmo e com as pessoas amigas e familiares. Organizado ao extremo, tinha mania do perfeccionismo e cumpria seus compromissos a rigor conforme eram programados. Carinhoso demais com os pais, com os irmãos, com a esposa e com os filhos. Sempre dado ao trabalho, nunca foi abatido pelo desânimo e ainda no jornal, destacava-se como vendedor. Um grande negociante, fechava negócios com poucas palavras e suas técnicas de venda eram insuperáveis. Respeitava os amigos e gostava de atender a todos com hospitalidade natural, que cativava como ninguém.

Castro Alves, cujo nome é uma homenagem ao poeta baiano, levava uma vida simples e sem nunca alimentar qualquer sentimento de maldade. Durante toda a sua vida jamais quis utilizar a força para atingir quem quer que fosse. Apesar de estar sempre nas estradas em viagem de negócios, jamais quis usar armas de fogo, e todos os dias, antes de adormecer ou despertar, fazia a sua oração pessoal, entregando ao Criador as suas preocupações. Ele foi um ser humano especial e quem o conheceu, certamente pode confirmar as palavras que estão aqui escritas.

Agora, após muitas conquistas e a consciência do dever cumprido, deixa muitos corações enlutados, principalmente a mãe e a esposa inconformadas com o infortúnio, cujo ato criminoso não ficará impune diante da Grande Consciência Universal. A violência contra as pessoas de bem continua, mas os culpados serão punidos, passa o tempo que passar, eis que “tudo o que o homem semear, isso também ceifará”, é a promessa de Deus.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar