DestaqueVariedades

Simeão e Ana foram adorar Jesus – Os Sábios também fizeram a mesma coisa

Cumprindo as formalidades da época, Jesus é circuncidado, após o oitavo dia de Seu nascimento. Depois de pouco mais de três semanas, o menino foi levado ao Templo, em Jerusalém, onde foi apresentado. Os pais José e Maria levaram-nO para as duas cerimônias, resgatar o recém-nascido, e purificar a mãe cerimonialmente. Enquanto estavam na área do Templo, Ana e Simeão, que eram tementes a Deus e viviam ali, viram Jesus. Eles louvaram ao Senhor Deus na presença do menino, que era o Messias prometido.

A circuncisão naquele tempo era uma cerimônia importante entre a nação israelita, repleta de alegria e solenidade. Os parentes e amigos se reuniam com a família para a circuncisão e para a apresentação no Templo Sagrado. Não se tratava de batismo, como alguns pensam, pois o ato batismal só acontecia após a pessoa tomar consciência de seus atos. Jesus, por exemplo, passou pela experiência do batismo nas águas, depois de adulto, no rio Jordão, por meio do profeta João Batista. Ele não necessitava disso, mas preferiu cumprir a justiça.

A circuncisão servia para distinguir um homem judeu em relação aos seus vizinhos gentios, que eram considerados “pagãos incircuncisos”. Assim, a criança cincuncisa ficava apta para a vida, enquanto a mãe era purificada, seguindo algumas regras judaicas. Após a cerimônia, Maria teve um período de purificação e entregou no Templo dois pombinhos, que era o sacrifício de uma mulher pobre.

Os Magos do Oriente – Quem, na verdade, já não viu as imagens dos supostos três reis magos adorando, juntamente com os pastores, o menino Jesus na manjedoura de Belém, logo após seu nascimento? Quem eram esses magos, e de onde eles teriam vindo?

Sobre os nomes dos magos, estes não são mencionados. Portanto todos os nomes que alguém tenha ouvido como supostamente sendo seus nomes são apenas tradições.

Sobre o seu número: embora a Palavra de Deus nos diga que os magos trouxeram ouro, incenso e mirra, ela em lugar algum diz que eles eram três. Eles eram certamente mais que um. No entanto, pode muito bem ser que eles eram mais do que dois ou três, desde que tais viagens longas como a viagem que fizeram para chegar a Belém, eram, por razões de segurança, organizadas em grandes caravanas.

Sobre a identidade dos magos, a palavra grega que é traduzida como “homens sábios”, é a palavra “magos”. Sobre o significado desta palavra, é usada pela primeira vez para a caracterização de um membro de uma casta de sacerdotes e sábios entre os medos, persas e babilônios, cuja aprendizagem foi principalmente a astrologia, astronomia e encantamento. A palavra “magos” também é usada com o significado de um mágico. No entanto, no nosso caso, é claro que os magos que vieram visitar Jesus pertenciam à primeira categoria ou seja, eles eram membros desta casta de homens instruídos.

Mateus declara: “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém” De acordo com esta passagem, os magos não chegaram a Jerusalém, senão depois que Jesus nasceu. Portanto, uma vez que eles permaneceram em Jerusalém no tempo apto para os eventos acontecerem, Herodes ficou perturbado com o que disseram, e chamou os sacerdotes e os escribas do povo para pedir-lhes para dizer onde o Messias nasceria. Herodes chamou novamente os magos secretamente, os inquirindo para contar sobre o tempo que a estrela aparecera; finalmente, Herodes enviou os magos para longe de Belém), e eles não poderiam, de modo algum, ir a Belém, na noite do nascimento de Jesus, como ensina a tradição. O texto sagrado diz: “… entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, O adoraram”.

Reza a tradição que os magos, que eram homens sábios, vieram de uma terra a leste da Palestina, e viram uma estrela, que informava que o Messias havia nascido. Deixando seus lares, esses sábios viajaram a Jerusalém, onde perguntaram sobre o menino recém-nascido. O rei Herodes teria ficado curioso sobre um novo rei em Israel, e com todo zelo, chamou os seus líderes religiosos, pedindo para que eles acompanhassem o caso e lhe avisasse quando fosse possível, dando os detalhes. Herodes governou durante os 30 anos seguintes, entre dois impérios rivais: Roma, a quem ele servia, e os partos, que a qualquer momento podiam promover uma invasão, com a participação de alguns judeus.

Os Presentes – Os sábios acabam se rendendo à criança e em ato profético, presenteiam com ouro, incenso e mirra, anunciando que nascera um Rei, Sacerdote e Salvador. Cada presente oferecido pelos sábios do Oriente, tem um significado. Ouro: Este carrega um significado óbvio. É precioso e digno em todas as culturas e épocas. É um ajuste de presente para a realeza que diz para o menino Jesus que Ele seria um Rei. Incenso: O nome para essa resina vem de incenso de francos desde que foi reintroduzida para a Europa pelos cruzados. Embora seja mais conhecido como incenso para os ocidentais, a resina é conhecida como incenso, que é derivado do árabe al-lub, “Suba a minha oração perante ti como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde. O Incenso, representa o aroma agradável diante de Deus. Os vapores de incenso eram considerados símbolo de oração. Mirra: Mirra: o mais misterioso dos presentes. É uma resina produzida por uma pequena árvore que cresce em regiões semidesérticas do Norte de África e o Mar Vermelho. Mirra é uma palavra árabe que significa amargo, considerado um curador de feridas por causa de sua forte ação antiinflamatória.

 

 

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar