DestaqueVariedades

Legislador Moisés – O Libertador de Israel

O legislador Moisés nasceu no Egito, aproximadamente 300 anos depois da morte de José (1550-1500 a.C). Ele tirou os hebreus da escravidão cerca de 400 anos depois que Jacó e a sua família tinham vindo para o Egito, durante a fome. 40 anos se passaram desde a ocasião em que Moisés fugiu do Egito até quando ele tirou o seu povo da escravidão, rumo à Terra Prometida. O pai de Moisés era Anrão, e sua mãe se chamava Joquebebe. Eles foram também os pais de Arão e Miriã. Anrão era um levita, ancestral da linhagem sacerdotal que começou com Arão. Quando o Faraó começou a matança de crianças no Egito, Joquebebe fez um cesto para o filho Moisés e escondeu no rio Nilo.

Não se sabe direito quem foi a princesa que resgatou o menino Moisés das águas do rio Nilo, mas existem algumas pistas, ou teorias sobre o caso. Uma das informações é de que Moisés cresceu no reinado do Faraó Ramsés II, um governante cruel. Merneptá, o Faraó seguinte, teria sido o rei quando o libertador tirou os hebreus do Egito. Dizem que a princesa que retirou o menino do rio se chamava Hatshepsut, filha de Tutmés I, mas também é uma especulação. Esse Faraó teria vivido 200 anos antes de Ramsés II. Era a princesa uma mulher muito forte, e segundo a lenda, teria se casado com o seu meio-irmão, Tutmés II.

Sem ter filhos, Hatshepsut teria criado Moisés para ser o próximo Faraó, como um ato de vingança contra o seu próprio esposo, Tutmés II. Após a morte do marido, ela assumiu o trono e governou o Egito durante 22 anos. Não tendo filhos, para a princesa o encontro com Moisés teria representado para ela um presente dos deuses.

Moisés num Cesto. O Faraó, por decreto, queria matar todas as crianças hebreias do sexo masculino. É bom esclarecer que o legislador Moisés que depois foi o libertador do povo hebreu, era também de família escrava hebreia.  A mãe de Moisés o escondeu até os três meses de idade porque não quis que ele fosse morto pelos egípcios. Mas, visto que Moisés podia ser achado, ela pegou um cesto e o preparou para não entrar água. Daí, pôs Moisés nele e colocou o cesto na grama alta ao longo do rio Nilo. A irmã de Moisés, Miriã, ficou vigiando por perto. A filha de Faraó desceu ao rio Nilo para tomar banho. De repente, viu o cesto. Chamou uma das suas servas: ‘Vai buscar aquele cesto.’ Quando a princesa abriu o cesto, viu um belo menino. O pequeno Moisés estava chorando, e a princesa teve pena dele. Não quis que ele fosse morto.

Miriã correu depressa para contar isso à mãe. Quando a mãe de Moisés chegou à princesa, esta disse: ‘Tome o menino e cuide dele para mim, e eu lhe pagarei.’ Assim, a mãe de Moisés cuidou de seu próprio filho. Depois, quando Moisés já era mais crescido, levou-o à filha de Faraó, que o adotou como seu próprio filho. O texto sagrado declara: “Miriã correu depressa para contar isso à mãe. Quando a mãe de Moisés chegou à princesa, esta disse: ‘Tome o menino e cuide dele para mim, e eu lhe pagarei.’ Assim, a mãe de Moisés cuidou de seu próprio filho. Depois, quando Moisés já era mais crescido, levou-o à filha de Faraó, que o adotou como seu próprio filho.

Era Moisés da idade de cento e vinte anos quando morreu; os seus olhos nunca se escureceram, nem perdeu o seu vigor, no Monte Nebo, Planície de Moabe. Ele era da família Coatitas, descendentes de Coate filho de Levi que era filho de Jacó e de Lia. Levi: Em hebreu significa “devoto, unido”. Jetro, sogro de Moisés, tomou a Zípora, a mulher de Moisés, depois que ele lha enviara, com seus dois filhos, dos quais um se chamava Gérson; porque disse: Eu fui peregrino em terra estranha; E o outro se chamava Eliézer; porque disse: O Deus de meu pai foi por minha ajuda, e me livrou da espada de Faraó.

Deus somente usou a Hatshepsut, para acolher a Moisés, adotando-o e impedindo que o menino fosse morto pelo Faraó. Era guerreira, forte, governou o Alto e o Baixo Egito se vestindo de homen e sendo retratada em muitas pinturas dos templos com barba e cajado. Seu templo chamado “templo dos dez mil anos” chama-se Deir-el-Bahari, fica em Luxor, e o obelisco, um dos maiores do Egito, se encontra em Karnac. Nas quatro caras do obelisco, Hatshepsut mandou desenhar mensagens impondo e consagrando o seu nome a Horus e Amon. Quando Tutmosis III assumiu o trono, mandou destruir quase todas as lembranças da rainha faraó, que tão gentilmente adotou Moisés, o libertador de Israel.

 

 

 

 

 

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar