sexta-feira,
19/07/2024
Mais
    InícioDestaqueDIA DE FINADOS

    DIA DE FINADOS

    A dor é inevitável. A saudade também. Mas é preciso que os encarnados continuem nessa vida, mesmo sentindo falta de seu ente querido que partiu para a Espiritualidade. O tempo ameniza a saudade e transforma a dor em certeza do reencontro.

    No Brasil de raízes católicas, o Dia dos Finados é um momento reservado para os familiares e amigos prestarem homenagens aos seus entes que já desencarnaram.

    Embora muitos saibam, é importante salientar que os desencarnados não vivem nos cemitérios. Entretanto, nesse dia específico, devido a sintonia de muitas pessoas, com suas emanações de amor e saudade, é permitido aos desencarnados visitarem também os seus familiares no dia dos finados.

    É bastante comum para os médiuns de vidência e clarividência observarem a presença de desencarnados consolando seus entes queridos de junto aos seus túmulos, aplicando-lhe passes e vibrando energias positivas e de conforto.

    Os rituais que foram criados e herdados de tradições antigas, como acender velas, depositar flores sobre um túmulo, entre outras práticas, são maneiras carinhosas que os encarnados encontram de dizerem para os seus entes de que eles permanecem vivos em suas melhores lembranças. São votos de paz e felicidade espiritual. Mas tais rituais não se constituem como uma regra.

    Para quem se encontra do outro lado da vida, a maior homenagem possível é uma prece. Ela é o veículo capaz de conectar dois planos de existência, o material e o espiritual, vinculando o encarnado ao desencarnado, promovendo a ambos uma sensação de bem-estar e paz.

    Hoje, caso vá ao cemitério, leve contigo acima de tudo a certeza de que o seu familiar segue vivo. Mentalize coisas boas e enderece ao seu ente querido todos os pensamentos e desejos de luz que você conseguir mentalizar. Do lado de lá, e bem próximo a você, eles também seguem contigo, sentem saudades e aguardam o dia do reencontro.

    Texto de Henrique Arcena

     

    Mais Lidas