DestaqueVariedades

Conversão de Paulo – As Viagens Missionárias do Apóstolo

O termo grego apóstolo significa enviado. Supõe que o enviado tenha os mesmos pensamentos e sentimentos daquele que o enviou, comunicando fielmente a sua mensagem. Paulo foi constituído apóstolo e a missão principal dele foi levar aos gentios a doutrina de Jesus, que o converteu na estrada de Damasco. Após o episódio da morte de Estêvão, Paulo assumiu uma posição importante na perseguição aos cristãos, recebendo autoridade oficial para liderar as perseguições e, na qualidade de membro do Concílio do Sinédrio, dava o seu voto a favor da morte dos Seguidores do Nazareno. O livro de Atos dos Apóstolos relata os detalhes da vida missionária do corajoso Paulo. De perseguidor a perseguido, Paulo de Tarso foi um dos maiores homens a levar o evangelho e pregar a salvação por Jesus na Ásia e na Europa. O Apóstolo Paulo empreendeu longas peregrinações levando a fé cristã, fundando igrejas e se dedicando a escrever suas Epístolas. Em 64, após o grande incêndio que ocorreu em Roma, no reinado de Nero, a culpa caiu sobre os cristãos. Paulo, que havia voltado para Roma, para dar assistência aos cristãos martirizados, foi preso e decapitado, fora dos limites da cidade de Roma.

Paulo viajou guiado pelo Espírito de Deus por várias cidades, hoje palco de peregrinos de todo o mundo, que desejam conhecer as origens do cristianismo e percorrer os caminhos desse grande escolhido para realizar a Grande Obra. O apóstolo realizou três viagens antes de ir a Roma, onde ficou preso por dois anos e continuou pregando através da escrita,  antes de ser martirizado.

Na jornada inicial, o apóstolo saiu com Barnabé de Antioquia da Síria, onde se reuniram com mestres e profetas, recebendo o chamado de Deus para as Viagens Missionárias. “E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a Obra a que os tenho chamado.” (Atos 13:2)

Acompanhados por um rapaz chamado Marcos, ambos iniciaram a missão na cidade chamada Salamina, em Chipre, atualmente território da Turquia. Ali pretendiam pregar nas sinagogas, mas perceberam que muitos judeus não aceitavam a versão sobre o Cristo, e decidiram, então, pregar aos gentios.

De Salamina Paulo partiu para Pafos, onde amaldiçoou com a cegueira um mágico que tentava reverter a fé de judeus e gentios. Depois partiram para pregar em Perge, onde Marcos decidiu deixá-los e retornar. Seguiram para Antioquia da Psídia. Nessa cidade, Paulo ensinou aos judeus que Jesus veio da semente de Davi. Muitos judeus se levantaram contra os ensinamentos do apóstolo, e ele prega novamente aos gentios. Os judeus, ao verem os gentios se convertendo e recebendo salvação, mobilizaram parte da cidade que não estavam com o apóstolo e expulsaram os homens de Deus. Partindo para Icônio, os apóstolos pregaram para judeus e gregos. A cidade ficou dividida, muitos acreditavam na Palavra, enquanto os outros planejavam apedrejar Paulo e Barnabé, que partiram ao saber do motim.

Chegando a Listra, Paulo pregava o evangelho e curou um paralitico que chegou até ele. Vendo isso, a população da cidade atribuiu a Paulo e Barnabé título de deuses. Paulo, se recusando a receber sacrifícios, foi apedrejado e arrastado para fora da cidade.

Os apóstolos seguiram pregando em Derbe, onde a mensagem da salvação foi aceita e muitos se converteram. De Derbe, Paulo e Barnabé voltaram às cidades anteriores reforçando a fé e estabelecendo igrejas. De Perge, seguiram para o porto de Atalaia, de onde partiram de volta à Antióquia da Síria. Quando chegaram e reuniram a igreja, relataram quão grandes coisas Deus fizera por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé.

A questão sobre a salvação dos gentios era razão de divergências na igreja, o que fez com que Paulo e Barnabé subissem a Jerusalém para se reunir com os anciãos. A igreja de Jerusalém congregou e, diante dos acontecimentos narrados pelos apóstolos e das obras do Senhor em meio aos gentios, a igreja estabeleceu que eles pudessem se converter sem que precisassem ser judeus, pois Deus não faz diferença de seus filhos.

2ª Viagem Missionária – Reunidos novamente em Antioquia da Síria, Paulo e Barnabé decidiram que era hora de retornar às cidades por onde haviam deixado frutos para saber como estavam. Barnabé insistia que deveriam levar Marcos com eles, mas Paulo discordava, pois este havia deixado a missão em Perge. Os dois apóstolos se apartaram. Barnabé e Marcos seguiram para Chipre, enquanto Paulo saiu com Silas para a Grécia. Paulo iniciou a viagem em Listra, onde conheceu Timóteo e o levou com ele para a missão, passando pelas igrejas que havia estabelecido na primeira viagem e por muitas outras que se multiplicavam, entregando a eles o decreto do que haviam decidido em Jerusalém. Dali Paulo tentou seguir para diversas outras cidades, mas o Espirito Santo o impedia.

Em Filipos os três apóstolos pregaram para várias mulheres, convertendo Lídia, que ofereceu moradia a eles. Ficaram sabendo de uma moça que estava possuída por um espirito de adivinhação, usando o poder para gerar lucro a seus patrões. Paulo expulsou dela o espirito e causou revolta aos senhores, que mandaram prendê-los. Os apóstolos foram açoitados e presos. Durante a primeira noite na prisão, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos de louvor. De repente, um terremoto derrubou os alicerces da prisão, libertando todos os prisioneiros. O carcereiro que dormia, acordou assustado e perguntou o que deveria fazer para se salvar. Paulo lhe anunciou Jesus e ele creu, levando-os para sua casa, onde pregaram para sua família e os batizaram na mesma noite.

Passando por Anfípolis e Apolônia, Paulo seguiu para Tessalônica. Ali os apóstolos pregavam nas sinagogas, como de costume, mas muitos judeus os perseguiram. Partiram para Bereia, continuaram pregando e convertendo pessoas, até que os judeus de Tessalônica descobriram que estava ali e foram atrás deles. Paulo seguiu sozinho para Atenas e depois chamou Silas e Timóteo. O apóstolo ficou muito triste ao ver tamanha idolatria naquela cidade. Paulo pregava e alguns religiosos diziam que ele lhes apresentava deuses “estranhos”.

Deixando muitos convertidos em Atenas, Paulo partiu para Corinto, onde conheceu Áquila e Priscila, e ficou com eles trabalhando no ofício de construir tendas. Aos sábados pregava nas sinagogas, permanecendo ali por muito tempo convertendo e batizando as pessoas que se convertiam. Paulo partiu para Éfeso levando com ele Áquila e Priscila. Pregou nas sinagogas, mas não permaneceu ali muito tempo, pois era tempo de festividades em Jerusalém e ele devia retornar.

3ª Viagem Missionária – Paulo passou pela Antioquia da Síria, onde permaneceu algum tempo, seguindo depois para Éfeso. Antes de sua chegada, estava na cidade um judeu chamado Apolo, que disseminava a Palavra de Deus, pregando o batismo de João. Priscila e Áquila passaram os ensinamentos de Paulo a ele e Apolo saiu pregando o batismo e a salvação por Jesus. Apolo estava em Corinto quando Paulo retornou a Éfeso. Paulo continuou o trabalho com os convertidos, batizando-os em nome de Jesus, impondo as mãos sobre cerca de doze homens, que receberam pela primeira vez o selo do Espírito. Dessa vez Paulo permaneceu por dois anos em Éfeso, ocasião em que muitos milagres foram operados, com a expulsão de demônios e pessoas se convertendo.

Saindo de Éfeso, Paulo foi à Macedônia visitar as igrejas, passando por vários dos locais das outras viagens e levando com ele alguns discípulos, chegando a Filipos. Durante uma pregação, um jovem que o ouvia sentado em uma janela dormiu e caiu do terceiro andar. O rapaz já estava morto, mas Paulo o ressuscitou.

Dali Paulo passou por mais algumas cidades chegando a Mileto, onde pregou aos discípulos e previu sua morte. Paulo aconselhava seus discípulos e orava com eles, enquanto choravam e se agarravam a ele. O apóstolo seguiu viagem até Tiro para embarcar para Jerusalém. Seus discípulos alertavam que ele não fosse, mas Paulo seguiu o caminho indicado por Jesus.

As últimas pregações – Paulo ainda continuou sua missão, e durante os dois anos em que passou preso, escreveu cartas pregando e ensinando as igrejas que estabeleceu ao longo da Ásia e da Europa, sendo que esta é considerada também uma viagem missionária, pois o apóstolo jamais deixou de pregar a salvação por Jesus, onde estivesse. Para conhecer os caminhos por onde Paulo pregou e operou milagres, é necessário contar com um roteiro exclusivo da Terra Santa, que pode levar o interessado a conhecer lugares incríveis, onde teve início a doutrina de Jesus, por intermédio do apóstolo Paulo, um dos maiores pregadores de todos os tempos.

 

 

 

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar