DestaqueVariedades

Última viagem de Jesus a Jerusalém – A Cura do cego Bartimeu

“Depois, foram para Jericó. E, saindo Ele de Jericó com Seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. Muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim. Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que Ele te chama. E, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus, que disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho” ( Mc 10:46 -52)

Jesus estava deixando a cidade de Jericó juntamente com os Seus discípulos e uma grande multidão O seguia. Pelo caminho em que Jesus passou havia um cego por nome Bartimeu, filho de Timeu, que estava assentado à beira do caminho mendigando. Quando Bartimeu ouviu que era Jesus de Nazaré que passava, começou a clamar dizendo: – “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!”. A narrativa deste milagre decorre do fato de Bartimeu ter ouvido que era Jesus de Nazaré que passava. Há dois pontos dignos de análise nesta narrativa: O cego ouviu que era Jesus de Nazaré que passava, e; O cego clamou por Jesus, Filho de Davi. Por que o cego clamou dizendo: – “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim”, em vez de clamar: “Jesus de Nazaré, tem de misericórdia de mim!”? Há algo significativo no fato dele ter clamado ‘Filho de Davi’, e não ‘Jesus de Nazaré’?

Se Bartimeu fizesse referência à pessoa de Jesus como ‘Jesus de Nazaré’, estaria admitindo, com base no que era divulgado pelo povo, que Jesus era o filho de José, aquele que residia em Nazaré, uma cidade da Galileia. Ao admitir que  era ‘Jesus de Nazaré’, Bartimeu estaria somente vinculando a pessoa de Jesus ao carpinteiro José, marido de Maria, ou que  era um profeta.

Bartimeu foi reprimido porque os judeus julgavam que qualquer que se fizesse Filho de Deus devia morrer, e Bartimeu estava declarando que Jesus era o Messias. Se Bartimeu tivesse chamado Jesus de profeta, Galileu ou de Nazareno, não haveria problema algum para com os judeus. Não havia problema algum em chamar Jesus de ‘Jesus de Nazaré’, pois os doutores da lei reputavam que, segundo o que entendiam das Escrituras, da Galileia não surge profeta.

Viagem para Jerusalém – O evangelista Mateus fala de Jesus com os discípulos subindo para Jerusalém e logo em seguida,  acontece a “entrada messiânica na Cidade Santa.  Marcos, fala de um cego, chamado Bartimeu: “estavam no caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ía à frente deles”. Lucas, depois de Jesus dizer “eis que subimos a Jerusalém”, também conta a história do Cego de Jericó; depois, fala de Zaqueu e se refere ao ministério de Jesus em Jerusalém.

O encontro com o cego precede a paixão. É provável que os evangelhos contam a viagem de Jesus até Jerusalém, passando por Jericó. De fato, vindo do Lago da Galileia, que fica a cerca de 100 quilômetros de Jerusalém, é possível passar pelas montanhas, pela Samaria, ou pelo vale do Jordão, até Jericó. E dali, subir até Jerusalém.

Conclusão – A experiência com o cego ensina aos discípulos de Jesus de Nazaré que o que irá acontecer pode ser entendido somente com olhos da fé. Embora o relato seja conhecido, há nelenuances diferentes que enriquecem a compreensão da Palavra de Deus.

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar