DestaqueVariedades

Salomão, a Eira de Araúna, o Templo Sagrado e sua Morte

Muito antes que os juízes liderassem em Israel e os reis governavam as nações, Deus pediu que Abraão, o ancestral dos israelitas, sacrificasse o seu único filho no monte de Moriá. Deus estava apenas testando a sua fidelidade e no último momento impediu a ação de Abraão. Foi exatamente nesse lugar, que aconteceu o primeiro culto de adoração, sendo muitos outros realizados ao passar dos séculos. Ali também, Davi comprou a Eira de Araúna, onde Salomão construiu o Santo Templo de Deus.

Nos anos que se seguiram, centenas de milhares de pessoas vieram, de todas as partes do mundo, para adorar a Deus nesse mesmo lugar. Também ali os sacerdotes ofereciam sacrifícios diários a Deus e músicos entoavam louvores a Ele. Planejado por Davi e edificado por seu filho Salomão, o Templo sempre foi o ponto principal de Jerusalém. Ele continuou a ser o centro de adoração para os judeus de todo o mundo até a chegada de Jesus. Nos dia de hoje, uma mesquita muçulmana, chamada Cúpula da Rocha, está construída no lugar do famoso e histórico Templo de Salomão.

Fica bem à margem do Monte do Templo o Muro das Lamentações, onde antes estava o Grande Templo, e antes dele, a Eira de Araúna. Nos tempos bem distantes, nessa eira, os lavradores separavam os grãos das espigas de trigo, milho ou cevada. Para fazer isso, eles usavam um instrumento de trilhar feito de pranchas de madeira e muito parecido com um trenó ou tobogã, porém mais pesado. Na sua base eram presas pedras afiadas ou metal. As espigas eram lançadas ao chão e o instrumento de trilhar era atrelado aos bois e arrastado sobre a colheita, enquanto homens e crianças se sentavam sobre ele para aumentar o seu peso.

Templo de Salomão – Davi deseja edificar esse monumental Templo, mas Deus se recusou a permitir por que Davi era um guerreiro coberto de sangue. A tarefa de edificar a Casa de Deus foi deixada ao seu filho Salomão. Davi fez planos detalhados, reuniu materiais e organizou as pessoas que conduziriam os serviços no Templo. Ele próprio não pôde iniciar a construção. Na verdade, ele não viveu para ver a construção da obra, pois Salomão só deu início após a morte do pai, dando exemplo de como as coisas devem acontecer.

Altar do Holocausto – O ponto central dos serviços do Templo era o Altar do Holocausto, pois nele os sacrifícios eram oferecidos a Deus. Esse altar era feito de bronze, com nove metros de largura e 4,5 metros de altura. Os sacrifícios eram colocados sobre uma grade de bronze que se estendia pelo interior do altar, e queimavam diante da Divindade. Normalmente, os sacrifícios eram animais como carneiros, ovelhas ou bois. Também eram colocados manjares e vinho sobre o altar, para algumas ofertas.

A Sabedoria do Rei – Salomão teria ido a Gibeão para oferecer seus sacrifícios, e enquanto ali permanecia, teve um sonho, podendo entender que Deus lhe daria o que ele quisesse. Salomão, então, pediu a Deus sabedoria, acima de todos os dons. A sua sabedoria logo foi revelada, quando duas mulheres vieram até ele trazendo um problema aparentemente impossível. Ele teve, no momento, uma intuição divina, e resolveu o problema de maneira satisfatória. Salomão foi um homem muito rico em Israel, e construiu para si mesmo um lindo palácio, construído com pedra e cedro, passando aser conhecido como o Palácio do Bosque do Líbano. Treze foi o tempo que durou a construção desse magnífico palácio, que possuía 45 metros de comprimento, 22 metros de largura e 13 metros de altura. O palácio estava localizado ao sul do Templo, sendo a ele conectado por uma porta do mesmo tipo. O palácio de Salomão teria sido destruído por Sisaque, faraó egípcio, quando invadiu Jerusalém. No local do suntuoso palácio do rei Salomão está hoje a mesquita El Aksa, do islamismo.

Glória de Salomão – O rei Salomão concentrou-se no comércio e na riqueza, trazendo muita fama para o seu nome e para a sua nação. Israel, desse os tempos de Davi, teria se transformado numa das mais fortes nações militares do oriente médio. Salomão conseguiu manter Israel dentre as nações mais ricas, como era o seu desejo. Além do Templo de Deus e o seu belo palácio, o rei construiu uma fortaleza, chamada Milo. Ele construiu a sua própria frota de barcos e estabeleceu o comércio com outras nações, o que lhe resultou em milhões de dólares em ouro, prata, marfim raro, linho fino, madeiras preciosas, especiarias e até mesmo macacos e pavões. Salomão ficou muito mais rico do que qualquer outro rei do mundo. Israel, com uma posição geográfica privilegiada, favorecia o enriquecimento de Salomão. O rei começou a negociar com terras novas e desconhecidas. Os seus inimigos lhe traziam uma riqueza cada vez maior. As nações derrotadas pelo seu pai Davi pagavam tributos ao tesouro de Salomão, para evitar novos conflitos.

Rainha de Sabá – Quando a rainha de Sabá chegou ao palácio de Salomão, a sua caravana teria viajado mais de 1.600 quilômetros. A sua nação ganhou projeção na época, por meio do comércio de perfumes e incenso, itens importantes na vida diária e na adoração do mundo antigo. A rainha de Sabá teria vindo da Etiópia, nação que ficava a sudoeste da Arábia  e sudoeste da Palestina. Ela teria levado a Arca da Aliança, um símbolo sagrado dos israelitas, uma espécie de presente entregue por Salomão.

Longe de Deus – Com tanta riqueza e sabedoria, o rei Salomão se ilude com o poder efêmero e se esquece de Deus. Começa a amar mulheres estranhas, com o objetivo de ampliar o poder de Israel. Os ídolos de suas esposas são empecilhos para ele servir a Deus como deveria. Embora Salomão não tenha sido o único homem na terra que tenha tido problema com a poligamia, Deus não tolerou os exageros do rei, que permitia que o povo israelita também adorasse os deuses estranhos; razão que levou Salomão a afastar-se de Deus.

A Morte de Salomão – Como se não interessasse mais saber nada sobre o apóstata Salomão, está escrito “Quanto aos mais atos de Salomão, a tudo quanto fez, e à sua sabedoria, porventura, não estão escritos no Livro da História de Salomão?” Este livro não faz parte do cânone bíblico, e é provavelmente uma crônica do seu reino disponível aos escribas que escreveram o livro de 1 Reis, e que não foi conservada. É um triste fim para quem começou tão bem e gozou das ricas bênçãos de Deus, prosperando materialmente mais do que qualquer outro dos Seus servos aqui na Terra. Mas não conseguiu permanecer nos caminhos de Deus e ser fiel até a sua morte. Seria diferente se tivesse seguido o que ele próprio aconselhou no fim do seu livro de Eclesiastes: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más.”

Se por um lado a sabedoria e riqueza que Deus deu a Salomão trouxeram-lhe a glória que nenhum rei na face da Terra teve e jamais terá, por outro lado também a sua idolatria foi capaz de lhe roubar tudo o que tinha e ainda causar tamanho estrago, de maneira tal, que nunca mais Israel foi o mesmo. E foi assim que a destruição começou em Israel: Os dez por cento do reino de Israel somente ficaram com o filho de Salomão por causa do amor e consideração de Deus com Davi; não fosse isso, a casa de Davi seria absolutamente apagada de Israel. o pior é que aquele templo tão suntuoso e tão expressivo espiritualmente deixou de sê-lo, porque a presença de Deus já não mais estava lá. Todos os objetos da Arca da Aliança já não tinham mais razão de ser; perderam totalmente a função. Tantos prejuízos por causa dos erros de Salomão.

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar