terça-feira,
20/02/2024
Mais
    InícioDestaqueBR-163 gera receita de R$ 149 milhões, e preço de pedágio vai...

    BR-163 gera receita de R$ 149 milhões, e preço de pedágio vai subir

    A cobrança nos pedágios instalados na BR-163, em Mato Grosso do Sul, completa um ano na próxima quarta-feira, 14, e deverá ganhar seu primeiro reajuste. Com isso, a receita da operação no Estado poderá ser ainda maior que os R$ 149.395.000 obtidos no primeiro semestre de 2016.

    A estimativa é de que o reajuste acompanhe a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e aumente em R$0,59. A inflação acumulada no ano, de 8,9%, poderá alterar o valor dos nove pedágios em operação no estado.

    Se reajustado, o valor mínimo cobrado de veículos de passeio em Mundo Novo, por exemplo, de R$ 4,70 passará para R$ 5,20. Em Campo Grande e em Rio Verde, onde o pedágio de carros pequenos chega a R$ 7,20 – o maior preço cobrado no Estado – poderá custar acima de R$ 8. Além dessas cidade, a CCRMSVia mantém praças em Naviraí, Caarapó, Rio Brilhante, Jaraguari, São Gabriel do Oeste e Pedro Gomes.

    Para efetuar o reajuste, a concessionária aguarda a autorização da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), que deverá ser publicada no Diário Oficial da União. De acordo com o contrato de concessão, o reajuste deve acontecer anualmente, na data de início da cobrança.

    O número também é alto em relação ao fluxo local, pelo menos 24,4 milhões de veículos passaram pelas praças de pedágio da BR-163. É o maior percentual de veículos comerciais, como caminhões e ônibus, de todas as rodovias do grupo, inclusive no comparativo com a concessão no Estado de São Paulo, conforme publicado no balanço patrimonial do grupo.

    Duplicação – A BR-163 está sendo duplicada desde o ano retrasado, sob o domínio da CCR MSVia MS, mas neste período, a empresa entregou apenas 97,4 km dos 845,4 quilômetros de extensão da rodovia, o que representa 11% de obras concluídas.

    De acordo com a concessionária, há 32 quilômetros em fase de construção e mais 55 quilômetros de novas duplicações, que foram iniciados entre os meses de maio e junho deste ano.

    Mais Lidas