quinta-feira,
25/07/2024
Mais
    InícioDestaquePara incentivar empresas, Governo estuda reduzir ICMS do querosene

    Para incentivar empresas, Governo estuda reduzir ICMS do querosene

    Objetivo é fomentar o turismo de Mato Grosso do Sul

    Para fomentar o turismo sul-mato-grossense e incentivar empresas aéreas para atuar em rotas com pouca oferta, o Governo do Estado estuda diminuir a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o querosene, o combustível usado nas aeronaves.

    A informação foi revelada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), nesta segunda-feira (7), durante assinatura de convênio para incentivar pacotes turísticos no Pantanal.

    Segundo Azambuja, a negociação para diminuir o ICMS vai começar na tarde de hoje, com representantes da empresa Azul Linhas Aéreas.

    “Vamos começar com a Azul, mas está aberto para todos que queiram operar voos novos ou em atrativos turísticos”, disse Azambuja, sem detalhar a quanto a redução do imposto pode chegar.

    O diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Nelson Cintra, pontuou que a redução da alíquota poderá ser compensada pelo aumento no número de passageiros transportados, assim como deve possibilitar a permanência de algumas rotas e a abertura de novas.

    TURISMO

    Passeios, workshops e rodadas de negócios compõe o roteiro sul-mato-grossense da Adventure Week que recebeu, nesta segunda-feira, repasse de R$ 156 mil do governo estadual. No grupo de 30 pessoas que visitará Mato Grosso do Sul, cerca da metade são de operadores de turismo norte-americanos.

    A diretora da Adventure Travel Trade Association (ATTA) para a América do Sul, Gabriella Zampoli de Assis, ressaltou que o segmento de ecoturismo e turismo de aventura cresce 65% no país e, neste caso, se faz necessário adotar marketing específico para cada perfil de turista.

    Gabriella apresentou ao menos três perfis de turista, sendo eles o curioso, aventureiro e entusiasta. O primeiro seria composto por famílias e idosos (24%), seguido dos jovens em busca de aventura (20%), assim como os técnicos e formadores de opinião (8%). Outros 34% seriam de massa e 14% de transição entre os dois primeiros grupos.

    Dados do Ministério do Turismo apontam que turistas com esse perfil gastam em média US$ 3 mil em roteiros de oito dias. Eles também estariam dispostos a desembolsar mais por experiências autênticas e emocionantes.

    Mais Lidas