DestaqueRegião

Servidores paralisam atendimentos na UFMS e HU

Pauta questiona terceirizações e projeto que prevê cobrar especialização

Cerca de 800 servidores paralisam, nesta quarta-feira (24), serviços administrativos e hospitalares vinculados a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Na pauta estão críticas a terceirização do Hospital Universitário, adesão obrigatória a previdência complementar dos servidores públicos federais, além de projeto de lei que prevê cobrança de cursos de especialização nas instituições públicas.

A manifestação foi convocada, em todo país, pela Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior  Públicas (Fasubra). Sua duração será de 24 horas. O protesto se concentra no portão principal do Hospital Universitário.

Marcio Saravi de Lima, coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Fundação UFMS (Sista), confirmou que o serviço de saúde passa por precarização com falta de insumos como luvas, gase e até medicamentos básicos como dipirona.

“Quando a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) assumiu o intuito era melhorar o atendimento, mas isso não ocorreu e precarizou ainda mais o serviço. Também acompanhamos a pauta do Congresso Nacional quanto aos projetos que alteram a previdência e buscam cobrar os cursos de especialização nas instituições públicas”, disse o sindicalista.

Foram informados oficialmente sobre a paralisação, no dia 19 de fevereiro, o superintende da Ebserh, Cláudio Wanderley Saab, a reitora da UFMS Célia Maria Silva Correa Oliveira e o procurador-chefe do Ministério Público Federal (MPF), Enerson Kalif Siqueira.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar