DestaqueVariedades

O Dia em que nasceu Mato Grosso do Sul

No ano em que completa 38 anos de emancipação, Mato grosso do Sul, criado em 1977, a partir da separação do Estado de Mato Grosso, tem atualmente, segundo dados do IBGE (Instituo Brasileiro de Geografia e Estatísticas) tem uma população de 2015 2.660.055 habitantes.

MS tem o 6º maior rendimento médio mensal do País. Segundo tabela do IBGE, envolvendo pessoas de 10 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência e valor do rendimento médio mensal de trabalho, por indicativo de rendimento, sexo e número de trabalhos.

Ranking de  2013
A média salarial brasileira é de R$ 1.527. O estado de maior rendimento médio é o Distrito Federal com R$ 3.086, seguido por São Paulo que atinge R$ 1.991, a seguir Rio de Janeiro, R$ 1.932; Santa Catarina, R$ 1.794; Mato Grosso 1.743 e Mato Grosso do Sul, com renda média de R$ 1.735.

Acompanhe no gráfico a evolução da população de MS:

EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO DE MS
 ANO   TOTAL   ANO   TOTAL   ANO   TOTAL 
1940  238.640(*) 1991  1.780.373 2011  2.477.542 (1)
1950  309.395(*) 1996  1.927.834 2012  2.505.088(1)
1960  579.652(*) 2000  2.078.001 2013  2.587.269(1)
1970  998.211(*) 2007  2.265.274 2014  2.619.657(1)
1980  1.369.567 2010  2.449.024 2015  2.660.055(1)
(*) excluída a população dos municípios de
Mato Grosso.
(1) Estimativa anuais de população.
Fonte: IBGE

 

POPULAÇÃO POR FAIXA ETÁRIA (Ano de 2010)
 IDADE   POPULAÇÃO   IDADE   POPULAÇÃO   IDADE   POPULAÇÃO 
0 a 4 anos  191.796 30 a 34 anos  200.540 60 a 69 anos  135.071
5 a 9 anos  197.829 35 a 39 anos  181.545 70 a 74 anos  43.989
10 a 14 anos  222.088 40 a 44 anos  168.579 75 a 79 anos  29.163
15 a 17 anos  138.415 45 a 49 anos  154.699 80 a 89 anos  26.128
18 ou 19 anos  87.576 50 a 54 anos  127.589 90 a 99 anos  4.622
20 a 24 anos  219.930 55 a 59 anos  101.914 100 anos ou mais  297
25 a 29 anos  217.254
Fonte: IBGE

 

Conheça um pouco da história da criação de Mato grosso do Sul, segundo as informações do Wikipédia:

Emancipação política
A ideia de desmembrar o antigo sul de Mato Grosso contornou definitivamente o atual estado em 1975, com a tese Divisão político-administrativa do Mato Grosso, que a Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG) publicou, cujos dados basearam a campanha intensificada pelo desmembramento.
O presidente Ernesto Geisel comunicou que o governo federal decidiu sobre o assunto durante uma reunião com o governador José Garcia Neto, de MT, no dia 4 de maio de 1977. De acordo com o primeiro projeto de lei, o novo estado seria chamado de Campo Grande.

Quando o Congresso Nacional aprovou a lei e o presidente do Brasil sancionou, em 11 de outubro do mesmo ano, o nome do estado foi mudado para Mato Grosso do Sul. Foi decidido que a capital do novo estado seria Campo Grande.

Há dois motivos importantes que o governo federal invocou para dar duas justificativas ao novo estado a ser desmembrado:

– A grande extensão do estado de Mato Grosso não permitia que ele fosse eficazmente administrado;

– Os diferentes ambientes naturais distintos entre ambas as áreas, sendo que a vegetação de Mato Grosso do Sul é de campos, e cujas atividades econômicas são a agricultura e a pecuária, e Mato Grosso, entrando na Amazônia, uma região com uma quantidade pequena de população e de exploração, e com grande cobertura de árvores nativas da Floresta Amazônica.

De acordo com governo federal, a proposta era a promoção de desenvolver a região perante “projetos de impacto”, que não se formaram, e, depois o primeiro plano foi reassumido pelas questões políticas.

Novo Estado

Roberto Higa/Acervo Histórico MS

Primeiro governador de MS, Harry Amorim assina termo de posse

A afirmação dada pela lei que constituiu Mato Grosso do Sul, desde 1º de janeiro de 1979, foi a de que o presidente do Brasil nomeou um interventor que governaria o novo estado. Naquela data, o presidente Ernesto Geisel investiu no cargo, em Brasília, o profissional da engenharia Harry Amorim Costa.

Naquela ocasião foi acentuado pelo presidente Ernesto Geisel que o fato de ser criado o Mato Grosso do Sul teve como significado “o reconhecimento de uma realidade econômica e social” e foi destacado no novo estado — então a 23ª unidade da federação brasileira — a “extraordinária vocação para o desenvolvimento agropecuário e agroindustrial”, devido acima de tudo dos solos férteis da região de Dourados e do grande potencial que o cerrado tem da agricultura.

Cortando o mandato do primeiro governador pelo primeiro ano, Marcelo Miranda Soares substituiu Harry Amorim. Quem demitiu Marcelo Miranda, por sua vez, já em 1980 foi o presidente do Brasil João Baptista Figueiredo. O substituto foi Pedro Pedrossian, “de modo a promover maior entrosamento e unidade política no estado, com vistas às eleições de 1982”. Contudo, nem o fato de substituir nem as verbas que o governo liberou, em 1981, foi a garantia de que o governo fosse vitorioso nas eleições de 1982.  Na ocasião foi eleito governador Wilson Barbosa Martins, ex-deputado federal cassado.

O governo de Wilson Martins enfatizou a industrialização, perante o fato de instituir os incentivos – um dos quais tem consistido na fixação de um prazo de três anos de carência para recolher o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICM) do estabelecimento das empresas industriais no estado até 1989.

Também foi atacado pelo novo governo a defesa do meio ambiente, quando teve o apoio em 1984 da Operação Pantanal 2, que a Secretaria Especial do Meio Ambiente (Sema) organizou, com as Forças Armadas e as Polícias Civil e Militar ajudando.

O destino da operação era a repreensão dos “coureiros” que praticavam a caça ilegal no Pantanal. Martins se posicionou contrário ao fato de instalar mais seis destilarias de álcool na bacia hidrográfica do rio Paraguai: O governador considerava o projeto como ameaçador ao meio ambiente, pois foi previsto pelo então governador da época que fossem despejados de 15 milhões de litros de vinhoto diariamente nos rios.

Nos anos 1980, o governo instalou a primeira companhia da Polícia Florestal, que teve a incumbência de promover a redução das ações predatória  no Pantanal, área que empresas pesqueiras e caçadores depredaram. Também foi implantado o Grupo de Operações de Fronteira (GOF) para a repreensão do tráfico de drogas, além do contrabando e a caçar ilegalmente animais silvestres nos 400 km de fronteiras com a Bolívia e o Paraguai.

Com o desenvolvimento do turismo ecológico, que o Pantanal propiciou, nos anos 1990 cresceram as perspectivas de desenvolver a economia, acima de tudo com o fato de decidir a conclusão das obras da Ferronorte, que daria permissão ao transporte ferroviário da produção agrícola em direção ao porto de Santos, no estado de São Paulo. Em 1997 o governo privatizou a Empresa Energética do Estado de Mato Grosso do Sul.
Século XXI

De 2002 a 2008, os lenhadores desmataram 4 279 quilômetros quadrados do bioma Pantanal, dos quais 65% ficavam em território sul-mato-grossense.

Geografia
O estado de Mato Grosso do Sul está localizado no sul da região Centro-Oeste do Brasil e tem como limites Goiás ao nordeste, Minas Gerais ao leste, Mato Grosso ao norte, Paraná ao sul, São Paulo ao sudeste, Paraguai ao oeste e sul e a Bolívia ao noroeste.

Mato Grosso do Sul é o 6° colocado em área territorial  e ocupa uma superfície de 357 145,532 quilômetros quadrados, participando com 22,2% da superfície da Região Centro-Oeste do Brasil e 4,2% da área territorial brasileira (de 8 514 876,6 km²), sendo ligeiramente maior que a Alemanha.
Possui, ainda, 79 municípios, 165 distritos, quatro mesorregiões geográficas e onze microrregiões geográficas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Relevo
O Relevo de Mato Grosso do Sul é formado por planaltos,patamares e chapadões,todos inseridos nas bacias dos rios Paraná e Paraguai.O arcabouço geológico do Mato Grosso do Sul é formado por três unidades geotectônicas distintas: a plataforma amazônica, o cinturão metamórfico Paraguai-Araguaia e a bacia sedimentar do Paraná. Sobre essas unidades, visualizam-se dois conjuntos estruturais. O primeiro, mais antigo, com dobras e falhas, está localizado em terrenos pré-cambrianos, e o segundo, em terrenos fanerozoicos, na bacia sedimentar do Paraná.

Não ocorrem grandes altitudes nas duas principais formações montanhosas, as serras da Bodoquena e de Maracaju, que formam os divisores de águas das bacias do Paraguai e do Paraná. As altitudes médias do estado ficam entre 200 e 600 metros.
(Fontes: Wikipedia e IBGE)

 

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar