DestaquePolítica

Defesa de Delcídio pede ao STF revogação de prisão preventiva

Segundo assessoria, advogado está 'confiante em decisão favorável'. Segunda Turma da Corte foi unânime ao confirmar prisão na terça passada.

Advogados do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) apresentaram nesta quinta-feira (3) ao Supremo Tribunal Federal um pedido para revogar a decisão da Corte que determinou sua prisão na semana passada. Segundo a assessoria de imprensa do parlamentar, a defesa “aguarda, confiante, a decisão favorável da corte”.

Delcídio foi preso no último dia 25 por suposta tentativa de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Ele foi gravado numa conversa com o advogado e o filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, em que prometeu conversar com ministros do STF para libertar o ex-diretor e sugeriu plano de fuga para a Espanha passando pelo Paraguai.

A prisão preventiva — ainda sem prazo definido para acabar — foi confirmada por unanimidade pelos ministros da Segunda Turma da Corte, formada pelos ministros Teori Zavascki (relator do caso), Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Celso de Mello e Dias Toffoli.

O pedido de revogação da prisão foi protocolado em segredo de Justiça. Procurado pelo G1 para explicar o teor do pedido, o advogado de Delcídio não atendeu às ligações.

Em nota divulgada no dia 27, a assessoria do senador disse que ele tem o propósito de provar sua inocência. Segundo a assessoria, o parlamentar “encontra-se abatido, porém, sereno e concentrado”, formulando sua defesa com os advogados.

Delcídio foi preso no último dia 25 por suposta tentativa de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Ele foi gravado numa conversa com o advogado e o filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, em que prometeu conversar com ministros do STF para libertar o ex-diretor e sugeriu plano de fuga para a Espanha passando pelo Paraguai.

A prisão preventiva — ainda sem prazo definido para acabar — foi confirmada por unanimidade pelos ministros da Segunda Turma da Corte, formada pelos ministros Teori Zavascki (relator do caso), Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Celso de Mello e Dias Toffoli.

O pedido de revogação da prisão foi protocolado em segredo de Justiça. Procurado pelo G1 para explicar o teor do pedido, o advogado de Delcídio não atendeu às ligações.

Em nota divulgada no dia 27, a assessoria do senador disse que ele tem o propósito de provar sua inocência. Segundo a assessoria, o parlamentar “encontra-se abatido, porém, sereno e concentrado”, formulando sua defesa com os advogados.

Fonte
G1
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar