domingo,
21/07/2024
Mais
    InícioDestaqueSem previsão de depoimento, Delcídio dorme sem cama em sala da PF

    Sem previsão de depoimento, Delcídio dorme sem cama em sala da PF

    AABAPF1Uma sala de nove metros quadrados, com material de escritório, mesa, cadeira e nenhuma cama. Foi assim que o senador Delcídio do Amaral (PT) passou a primeira noite em uma sala da Superintendência da Polícia Federal em Brasília, no Distrito Federal.

    aabadelcisPreso por tempo indeterminado, não há previsão de que o senador vá prestar depoimento na Superintendência na quinta-feira (26). O parlamentar é guardado por agentes da Polícia Federal na sala improvisada, sem banheiro. Também não há previsão de transferência.

    Delcídio do Amaral foi preso na quarta-feira (25) a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) por obstrução à Justiça. Amaral teria oferecido uma “pensão” de R$ 50 mil mensais para Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, para que ele fugisse do país pelo Paraguai e depois em jatinho fretado para a Espanha, em troca do seu silêncio sobre a negociação de Pasadena, nos Estados Unidos.

    Segundo Bernardo Cuñat Cerveró, filho de Nestor, o Senador Delcídio Amaral vinha empreendendo esforços para dissuadir seu pai de firmar acordo de colaboração com o Ministério Público Federal ou, quando menos, para evitar que ele o delatasse e a André Esteves, controlador do Banco BTG Pactual. Além disso, teria oferecido R$ 4 milhões em honorários para o advogado Edson Ribeiro.

    Foram presos Diogo Ferreira Nogueira, chefe de gabinete de Delcídio, o advogado Edson Ribeiro e André Esteves. Foram realizados 13 mandatos de buscas e apreensões. Dois deles em Campo Grande, na casa do senador e no escritório, na Rua Antônio Maria Coelho.

    Em nota, o PT nacional afirmou que “o PT não deve solidariedade a Delcídio”. O PT regional declarou se sentir “desamparado politicamente” em relação a nota da direção nacional.

    Estava prevista também para a quarta-feira a substituição de Delcídio como líder do Planalto na Casa, mas a decisão foi prorrogada para aproxima semana, segundo o governo de Dilma Rousseff.

    Mais Lidas