DestaqueVariedades

Alunas da Escola do Sesi de Dourados ficam em 2º lugar na Olimpíada Brasileira de Astronomia Astronáutica

Ao longo dos 20 anos de existência da OBA, cerca de 10 milhões de estudantes já participaram das olimpíadas no Brasil.

As estudantes Ana Carolina Menegassi Rocha, 17 anos, Gabriela Ayumi Yoshikawa Zachert, 17 anos, e Gabriela Nagamuta, 17 anos, que são alunas da 3ª série do Ensino Médio da Escola do Sesi de Dourados, conquistaram o 2° lugar na 22ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia Astronáutica (OBA), na categoria Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Neste ano, a Olímpiada contou com quase 18 mil escolas cadastradas de todo o Brasil e cerca de 800 mil estudantes dos ensinos Fundamental e Médio.

Estreando na competição, Gabriela Nagamuta conta que foi uma experiência incrível e credita a conquista do vice-campeonato à dedicação e muito treino. “Nossa equipe recebeu a recompensa enorme que foram os dias que passamos no Rio de Janeiro. O evento nos proporcionou amizades, conhecimento, a importância de um trabalho em equipe, além de muita diversão. A organização do evento nos recebeu muito bem, tivemos palestras, oficinas, sessão ao planetário, comidas maravilhosas e o principal, os lançamentos, os quais superaram nossas expectativas”, disse.

Dividida em quatro níveis, sendo três para alunos do Ensino Fundamental e um para o Ensino médio, a Olimpíada contou com uma prova com dez perguntas: sete de astronomia e três de astronáutica. Ana Carolina destacou que a competição contou com um clima amigável e não houve pressão por resultados. “Em nenhum momento foi colocada pressão para que os competidores fossem melhores entre si. Mas, sim, para ganhar aprendizado e foi isso que aconteceu. A troca de ideias foi incrível e eu amei tudo. Creio que todos curtiram”, disse.

Experiência

Na opinião de Gabriela Ayumi, a OBA foi uma experiência muito boa e que possibilitou adquirir novos conhecimento. “Estávamos lá, primeiramente, para descobrir novas coisas e nos divertir e depois para ganhar. Eu agradeço aos professores Wesley, Felipe e Pricilla por nos ajudarem em tudo que precisávamos. Agradeço ao Sesi por nos proporcionar essa maravilhosa experiência”, falou.

Para a diretora da Escola do Sesi de Dourados, Sibele Garcia e Silva, participar da OBA é uma experiência ímpar. “Estamos no terceiro ano consecutivo que vamos para o Nacional e somos premiados. É um movimento que os alunos interagem uns com os outros, trocam conhecimentos e experiências nas áreas de física, química, matemática e engenharia. Esse resultado vem nos reafirmar que estamos no caminho certo onde a construção do conhecimento e a prática traz resultados positivos e crescimento”, afirmou.

 Sobre a OBA

 A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira e da Agência Espacial Brasileira. Há, ainda no âmbito da competição, um outro evento que tem empolgado os estudantes: a Mostra Brasileira de Foguetes, a MOBFOG.

 Ao longo dos 20 anos de existência da OBA, cerca de 10 milhões de estudantes já participaram das olimpíadas no Brasil. Os estudantes mais bem classificados representarão o país nas Olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e na Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2020.

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar