DestaqueNotíciasPolítica

Presidente Bolsonaro É O Quarto Governante Mais Popular Do Mundo

No dia 29 de setembro de 2019, o Presidente Bolsonaro alcançou a marca de 33 milhões de inscrições em suas redes sociais. A expressividade do presidente nas redes sociais derruba a lógica instalada da grande imprensa, segundo a qual o chefe de estado brasileiro estaria perdendo popularidade.

Somente no mês de setembro, o Presidente Bolsonaro teve um número de novas subscrições equivalente a mais de 500 vezes o número de pessoas que os institutos tradicionais utilizam para suas pesquisas pelos métodos antigos: foram um milhão de novos inscritos contra a média de duas mil pessoas entrevistadas pelos institutos tradicionais.

Estes números despertam um questionamento sobre a eficácia dos métodos usados por esses institutos, pois os números do Presidente Bolsonaro nas mídias sociais contrariam a alegação da sua suposta perda de popularidade inferida por esses institutos.

Quanto à afirmação de que muitos seguidores do presidente são fakes, os dados das principais ferramentas de auditagem que mostramos aqui no Crítica Nacional, como o Twitter Audit, indicam que os seguidores reais do presidente brasileiro superam a taxa dos 96% do total de seguidores.

Um crescimento constante desde antes da campanha eleitoral
De acordo com o levantamento realizado pela agência de dados MrPredictions, desde a primeira leitura, em janeiro de 2018, Jair Bolsonaro vem exibindo um aumento constante no número de inscrições em suas redes sociais, o que o manteve sempre em primeiro lugar, quando comparado com os outros candidatos à presidência.

O então pré-candidato Jair Bolsonaro iniciou o ano de 2018 com quase 7 milhões de usuários inscritos nas suas redes sociais, considerando as plataformas do facebook, twitter, instagram e youtube. No dia 06 de setembro daquele ano foi divulgado um ranking digital em que Bolsonaro alcançava 10.129.508 inscrições após alguns fatos relevantes:
a) Série de entrevistas com candidatos no Jornal Nacional;

b)
 Após o início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão;

c) Após a divulgação de pesquisa eleitoral sem o nome de Lula;

d) No dia 06 de setembro também daquele ano houve o grave atentado sofrido por Bolsonaro, fato que teve enorme repercussão nas mídias tradicionais e nas mídias sociais. Passadas 24 horas após o atentado, o candidato teve um aumento de 408.840 novos seguidores;

e) O candidato Bolsonaro salta então de 10 milhões de inscritos para quase 14 milhões de adesões às suas redes, no período entre o dia do atentado até 05 de outubro, portanto 48 horas antes da votação do primeiro turno;

f) Outro pico ocorre entre a eleição no primeiro turno e a do segundo turno (05 a 26 de outubro) quando ele chega a 17.603.126 inscrições;

g) No dia 29 de outubro ele ultrapassa os 19 milhões de inscrições nas redes sociais.

A trajetória de crescimento após a posse na presidência
Desde a posse no dia primeiro de janeiro deste ano, o agora Presidente Bolsonaro passou a experimentar um crescimento a uma taxa ainda maior no número de seguidores e inscritos em suas redes sociais:

a) Atinge os 25 milhões de seguidores em 22 de janeiro 2019;

b) Com 3 meses de governo, em 20 de março, chega aos 27.965.599;

c) Em 29 de abril ele chega aos 28.943.726 seguidores;

d) No dia 06 de junho atinge a casa dos 30 milhões;

e) Passadas 24 horas de seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente brasileiro conquista quase 23 mil inscrições chegando a um total de 32.938.330;

f) Em três meses, o presidente conquista em torno de 3 milhões e atinge os 33 milhões em 29 de setembro de 2019, em meio a notícias relacionadas a Macron, Amazônia e a quarta cirurgia por causa do atentado.

Comparação com outros chefes de estado do mundo
O número de inscrições nas redes sociais do presidente brasileiro cresceu em mais de oito milhões desde a data da posse, uma taxa de crescimento superior a de Donald Trump e do Papa Francisco em 2019.

É interessante comparar o número seguidores do Presidente Bolsonaro com outras autoridades, como Emmanuel Macron, Angela Merkel e Boris Johnson: estes três líderes não possuem tanta expressividade nas redes sociais pesquisadas, e não entram no Top 10 dos Chefes de Estado do Mundo, como mostra o quadro comparativo abaixo.


Entre os chefes de estado de todo o mundo, o Presidente Bolsonaro aparece em sexto lugar em número de inscritos nas mídias sociais. No entanto existem estudos que chegam a apontar o presidente brasileiro como terceiro colocado nesse cenário. Mas o estudo que aponta esse dado é menos completo, e considera apenas primeiros-ministros e presidentes, porém, sem considerar o presidente da Indonésia para a formação do ranking.

Segundo o levantamento feito pela agência MrPredictions, o mandatário brasileiro é o sexto colocado dentro de uma lista mais completa, formada por presidentes, primeiros-ministros, chefes religiosos, reis ou rainhas, e todos aqueles que são considerados como Chefes de Estado.

Se tomarmos a categoria chefe do poder executivo,  aí incluídos os regimes presidencialistas, parlamentaristas e monárquicos, o presidente brasileiro é o quarto colocado mundial em número de inscritos nas mídias sociais dentre os governantes, conforme mostra o Ranking Digital Top 10 dos Chefes de Estado Mundiais, segundo a agência  MrPredictions.


Na lista dos presidentes da América Latina, o Presidente Bolsonaro é o primeiro colocado no ranking digital, como mostra o quadro abaixo.



Este conjunto de dados demonstra uma realidade totalmente diversa daquela que alguns veículos de mídia divulgaram erroneamente nos últimos dias, tentando afirmar que o Presidente Bolsonaro estaria perdendo força nas redes sociais. O que acontece é exatamente o contrário. O mandatário brasileiro continua crescendo e já é uma das principais personalidades políticas de todo o mundo.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar