DestaquePolicial

Moro ouve Marcelo Odebrecht sobre e-mails apresentados em processo que envolve Instituto Lula

Ele e um ex-executivo da empreiteira serão reinterrogados nesta quarta-feira (11), a partir das 16h, na Justiça Federal em Curitiba. Mensagens foram anexadas à ação pela defesa do empresário, em fevereiro.

Marcelo Odebrecht e o ex-executivo Paulo Ricardo Baqueiro serão reinterrogados no processo da Operação Lava Jato que apura a compra de um terreno pela empreiteira para o Instituto Lula.

Os dois serão ouvidos a partir das 16h desta quarta-feira (11), na Justiça Federal em Curitiba, especificamente sobre novos e-mails anexados à ação pela defesa de Odebrecht, em fevereiro deste ano.

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, apresentaram questionamentos sobre as mensagens eletrônicas e, por isso, o novo interrogatório foi marcado pelo juiz federal Sérgio MoroVeja um trecho da decisão abaixo.

De acordo com a defesa de Odebrecht, as mensagens estavam no computador pessoal do empresário e comprovam a negociação para a compra da sede do instituto do ex-presidente. Lula nega as acusações do Ministério Público Federal (MPF).

No processo, Moro já ouviu as testemunhas de defesa e de acusação e também todos os réus, incluindo o ex-presidente Lula. Não há data para que o magistrado dê a sentença do caso.

Lula, que está preso em Curitiba desde o último sábado (7), não vai participar da audiência, segundo a assessoria do advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente. Apenas a defesa acompanha o reinterrogatório.

A denúncia

A denúncia referente a este processo foi apresentada em 15 de dezembro de 2016 e aceita por Moro quatro dias depois. Segundo o MPF, a Construtora Norberto Odebrecht pagou R$ 12.422.000 pelo terreno onde seria construída a nova sede do Instituto Lula. Esta obra não foi executada.

Os procuradores também afirmam que Lula recebeu, como vantagem indevida, a cobertura vizinha à residência onde vive, em São Bernardo do Campo (SP). De acordo com o MPF, foram usados R$ 504 mil para a compra do imóvel.

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba desde o último sábado (7), devido à condenação em duas instâncias no processo sobre o triplex em Guarujá (SP). Ele cumpre pena de 12 anos e um mês por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

ex-presidente também é réu em uma ação da operação que envolve um sítio em Atibaia, no interior paulista.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close