DestaqueNotíciasOutros Destaques

Menonitas do Paraguai perdoam EPP

Cinco congregações menonitas pedem aos membros do grupo que se autodenominam o Exército do Povo paraguaio (PPE) para deixar a luta armada e chamar a atenção do Governo para que este cumpre seu dever de cuidar de todos os cidadãos.

Através de um comunicado, as igrejas menonitas no Paraguai chamam o PPE e outros grupos criminosos a abandonar a resistência armada e a libertar as pessoas que continuam sequestradas. “Embora rejeitemos seus métodos de terror, desejamos estender aos membros do PPE as mãos do perdão, da reconciliação e da fraternidade cristã, uma atitude enraizada e motivada pela vida e morte salvadora de Jesus Cristo”.

Eles reconhecem que a violência que afeta o Paraguai, em parte, está enraizada devido à marginalização econômica e social de muitos compatriotas. Eles expressam seu apoio aos líderes do país em seus esforços para implementar políticas e projetos que promovam o desenvolvimento integral das áreas afetadas e, ao mesmo tempo, pedem ao Governo que faça o seu dever, redobrando os esforços através das forças públicas para garantir a segurança. .

“Como pastores e líderes menonitas, junto com nossas igrejas e comunidades, nos comprometemos a promover a paz, a reconciliação e a justiça no Paraguai, criando espaços para o avanço do Evangelho de Jesus Cristo”, afirma o comunicado.

Este comunicado foi divulgado após a confirmação da morte de Abraham Fehr, um colonizador que foi sequestrado pelo PPE em agosto de 2015.

“Não há palavras suficientes para expressar nossa dor e nossa tristeza por esse fato deplorável que atinge a família Fehr, a comunidade menonita de Manitoba e toda a nossa amada terra natal”, diz ele em outro parágrafo.

 

ABC

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Close
Close