DestaqueTribuna Livre

Tribuna Livre – 10 de fevereiro 2017

VAIDADE EM ALTA – A vaidade em demasia é um perigo. Nem os grandes impérios do mundo foram poupados diante dessa tentação. Pessoas arrogantes não vão muito longe. Gestores despreparados para o enfrentamento de problemas e cheios de vaidade também ficarão à margem do caminho. O tempo é ingrato e não para. De quando em vez, alguns vaidosos e arrogantes são “apanhados” de surpresa. A falsa modéstia não funciona!

JONATAN BARBOSA – Durante muito tempo almejava ser deputado. Radialista de sucesso em Campo Grande,, um dia conseguiu. E chegou à presidência da Casa Legislativa. Embebedou-se com o efêmero poder. Foi um fracasso na vida pública porque a vaidade era demais. Não atendia nem mesmo os colegas deputados. Alguém, por acaso, tem alguma lembrança desse agente político? A Natureza cortou-lhe as asas e nunca mais voltou!

FRACASSO TOTAL – Outro exemplo de fracasso na política foi a militância do radialista Jocelito Canto em Ponta Grossa. Sensacionalista e extremamente voltado ao assistencialismo, conseguiu galgar os cargos de prefeito da cidade e deputado estadual em pouco tempo. Não deu conta do recado e caiu em desgraça politicamente. O sonho transformou-se em pesadelo para a população local e de todo o Estado do Paraná. O que teria acontecido?

RADIO E POLÍTICA – Pouquíssimos radialistas obtiveram êxito no exercício da política. Para a grande maioria, o gabinete e o estúdio de rádio, na falta de outras realizações, tornaram-se espaços comuns da prática assistencialista e da distribuição de favores, migalhas para contentar os ouvintes-eleitores.  A exceção fica por conta do senador Cid Carvalho, que conseguiu conciliar as coisas, inclusive editando uma extensa obra literária.

AS ESTATÍSTICAS – Sem margem para a dúvida, as estatísticas mostram que radialista na política não dá certo. São atividades muito diferentes na prática. O apresentador Ratinho, por exemplo, para ter sucesso, renunciou ao mandato de deputado federal, e nunca se arrependeu disso. O eleitor-ouvinte é exigente e se decepciona quando o seu ídolo conquista o poder  Imagina ele que terá prioridade, o que nunca vai acontecer. Os interesses depois, são outros.

A PEDRA BRUTA – É preciso lapidar a pedra bruta para que possa dar bons resultados. Existem casos com solução. Quando o homem natural assimila as realidades da vida, ele se transforma. Se não tem o devido preparo e não deseja mudar, ele vai de mal a pior e pode sucumbir. O poder em si é uma ferramenta que contribui para a lapidação do homem, mas também pode arruiná-lo, se não refletir os valores da vida. O desequilíbrio emocional é ruim!

VALDOMIRO SOBRINHO – Se tiver juízo e os pés no chão, o radialista Valdomiro Sobrinho poderá virar o jogo da história negativa de radialistas na política. Tudo é possível, se a vaidade não for excessiva e se a assessoria for perseverante até o fim. Os mundonovenses esperam…

 

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Close
Close