Brasil / Mundo

Vírus africano é primo-irmão da chikungunya e pode ser transmitido pelo aedes aegypti

Mosquito da dengue pode transmitir o novo vírus de origem africana ''nyong-nyong''

O vírus africano nyong-nyong, primo-irmão da febre chikungunya, também pode ser transmitido pelo aedes aegypti, o mosquito da dengue, muito comum em Mato Grosso do Sul. Apesar das descobertas, a população sul-mato-grossense não precisa entrar em pânico, pois nenhum caso de nyong-nyong foi registrado no Brasil e o principal transmissor do vírus é o mosquito anopheles gambiae, o mesmo transmissor da malária.

O vírus  não é tão novo assim, foi isolado pela primeira vez em 1957, em Uganda, na África. De acordo com o infectologista e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rivaldo Venâncio,  a novidade é que por ser classificado artritogênico, é um primo-irmão da chikungunya, tem os mesmos sintomas e também pode ser transmitido pelo mosquito aedes aegypti.

“Além de Uganda, tiveram epidemias de nyong-nyong, em países do sudeste asiático. Mas no Brasil, até que se prove o contrário, não há registros do vírus e nem do mosquito principal transmissor anopheles gambiae”, explica o infectologista.

SINTOMAS

Os sintomas são semelhantes aos da chikungunya: febre não muito alta, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, vermelhidão e dores articulares, que podem ser acompanhadas de inchaço.

As dores articulares podem ser tão intensas, capazes de imobilizar uma pessoa. A diferença é que as mesmas dores se manisfestam em um período de até 4 meses e não por um a dois anos como na febre chikungunya.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close